quarta-feira, junho 28, 2006

Reencarnação ou a lei do karma


Passei o dia inteirinho no Hospital. Tantas horas seguidas, a maioria de espera entre actividades tão agradáveis como ser espetada, invadida, apertada e etc, levaram-me a uma série de divagações, algumas conclusivas, sobre inquietudes profundas.

Não se alarmem, não me deu para reflectir sobre a fragilidade da condição humana. Ou até deu, mas não me apetece considerá-lo aqui. Hoje não, pelo menos.

Deu-me mais para analisar as incongruências do modelo de atendimento que temos, considerar para onde vai o dinheiro dos impostos que pagamos e outras coisinhas de somenos importância.

Tirei algumas conclusões, as mesmas que qualquer pessoa dotada com um mínimo de inteligência e de senso crítico facilmente tirará.

E depois, deu-me para extrapolar... Entrei quase em delírio e organizei para memória futura:

1º- As salas de espera das consultas dos Hospitais, à semelhança das da Segurança Social, Finanças e Centros de Saúde são filiais do purgatório.

2º- Acredito em reencarnação. Firme e decididamente a partir de hoje. Ninguém merece experiências destas, por muito pecador que seja. Tem que ser a Lei do Karma.

3º-Já que acredito, quero pedir para na próxima encarnação vir peixe, leve e colorido, livre e feliz mar adentro. Ou couve flor, calma, nutritiva e feliz, bem regadinha numa horta qualquer.
Quero ser uma coisa que não tenha ovários, trompas, tensão alta. Nem cérebro pensante, culpabilizante, fantasiante, delirante. Quero ser coisa simples, que esta foi uma vida cheia do privilégio de ser mulher.

4º- Comunico a quem interessar possa que fui oficialmente declarada um monte de coisas hoje. Entre elas, definitivamente hipertensa.

5º- Procurarei o altar de Shiva, para pedir com ardor pela minha próxima reencarnação; nesta faço o que tenho que fazer, mantenho o proverbial optimismo e a vocação para ser feliz e tomarei diariamente comprimidos, para sempre. Em vez de leite, oferenda comum, oferecerei iogurte, milk shake, arroz doce. O que fôr. Tenho mesmo que garantir que voltarei couve flor. Ou peixe.

19 Comments:

At 28/6/06 9:24 da tarde, Anonymous Meiguinha said...

Então cá vai:

1º- Se não tivesse ovários, trompas e tudo o resto, por onde andariam 2 princesas lindas que adoram a mãe um pouco excêntica e com ideias despenteadas?

2º - Se voltar couve-flor, pelo menos que traga um grande coração(igual ao que tem hoje) para poder ajudar as outras couves-flor que tenham problemas existenciais.

3º - Ser hipertensa não é o fim do mundo.

4º - Quando tiver de tomar os comprimidos(espero que sejam de várias cores que é mais giro) pense que está a comer M&M.

E será que me consegue ganhar aos comprimidos?

Com tanto tempo no Hospital, espero que, pelo menos, as notícias sejam um pouquinho melhores que da última vez.

Beijocas, beijocas e beijocas.

 
At 28/6/06 9:42 da tarde, Anonymous Meiguinha said...

E já tenho música.

Mas fiquei na dúvida, quem está cantando(e encantando)?

 
At 28/6/06 10:31 da tarde, Blogger Mãe do Outro Mundo said...

Gostei da Couve-Flor!!!! Posso voltar contigo dessa forma? Podemos fazer um bonito canteiro "couve-florense"!!!!!!!!!

Ânimo. Nem tudo é mau. Se virmos bem, a maioria até é bom! :o)))

 
At 28/6/06 10:49 da tarde, Blogger 125_azul said...

Sôdona Meiguinha: A música chama-se "Agonia" e é de Oswaldo Montenegro. Linda, não?
Gosto de a ter por cá tão bem disposta! M&M, anh? Muito bem!!!

Alien mamã: Bora lá! Como as couves coloridas que vêm em vasinhos!

 
At 28/6/06 11:20 da tarde, Blogger C_mim said...

Hum... Não aguentaria ser cove-flor muito tempo... Não saí do mesmo lugar...

Sugiro girafa para poder voltar para África ou Arara Azul Gigante do Pantanal para poder voltar para o Brasil...

Entretanto...

A D. come rebuçados
Doces e
Delicados
Come rebuçados
Em vez de assados
Cozidos
E grelhados
...


Lembra?... Tem 1 ano e há um ano eu acordava de manhã tomava pequeno-almoço, andava por aí, almoçava em casa da tia, dormia 3 horas na casa da tia, lanchava na casa da tia e só depois voltava para casa...

era o meu ritmo de há 1 ano... Quando as pessoas não faziam sentido.... Mas eu, de repente, voltei outra vez a fazer sentido e a ter sentidos; e essas proezas só se conseguem num sítio poético algures em Lisboa...

Beijinho, beijinho, beijinho...

Esqueça a tensão e vá ser feliz só com riscos da cor do arco-iris...

 
At 28/6/06 11:38 da tarde, Blogger planaltobie said...

Quem é que não é hipertenso?
E quem não gostaria de viver numa terra fresca e húmida que lhe desse saúde, força e razão de viver, tal como uma couve-flôr?
Todos! Talvez, ...talvez essas questões técnicas que colocas sejam questões "apenas" de frescura, humidade e carinho do terreno.
Gosto muito de horta. Ainda agora vim de lá, mas acho que tu és mais de jardim do que horta.

 
At 28/6/06 11:47 da tarde, Blogger Ana said...

As coisas que tu te lembras! Couve-flor!!!

Beijinhos

 
At 29/6/06 12:43 da manhã, Blogger Madalena said...

Eu prefiro ser fruta, tipo goiaba ou papaia, sim?
Agora a sério: trata deste corpo, que é que tens agora, mas trata-o bem, sim. Ele merece e nós queremos-te por aqui a dizer coisas giras, umas vezes mais sérias outras vezes menos sérias, mas a verdade é que precisamos de ti. Mil beijinhos Azulinha Couve Flor da Madalena Papaia!

 
At 29/6/06 12:54 da manhã, Blogger greentea said...

adorei a cena decerto kármica
também conheço esses antros que são as salas de espera e de espera e de espra dos hospitais..
o ano passado parti um braço ao escorregar aqui em casa depois de todos terem já saido a uma 2ªfeira de manhã
andei um més de braço em gesso que ao tirar estava pior que antes e depois , depois fui-me tratar na alternativa com massagens e banhos e essas cenas
posteriormente o colesterol subiu-me para os 400 não sei quantos tb tinha vindo para ficar e que tem de tomar aquele medicamento para o resto da vida durante oito dias fiz o que me disseram fiquei pior voltei ao hospital era sábado não me podiam fazer nada pq não era dia de fazer exames
atirei os comprimidos prá gaveta e nunca mais os tomei bebi sumo de limão e um chá que fui comprar na ervanária dietética e até hoje nunca mais tive colesterol nem aqueles sintomas

Não fiz oferendas nenhumas nem pedi para voltar couveflor nem leão nem peixe mas agradeci ao universos ter-me dado tão bons neurónios para poder ultrapassar astécnicas da nossa medicina hospitalar.

Visualiza a tensão a normalisar! L^Louise Hay e verás que tudo passa...

beijinhos

 
At 29/6/06 2:23 da manhã, Blogger UrsaM said...

Bem vinda ao clube das pessoas que se importam com a vida! Ainda bem que não quiseste vir lesma! Certamente esta não teria pressão alta, jamais!
Ah! o que os médicos NÃO sabem que não sabem!

Não queres voltar como aquele gay negro do show biss e ser minha amiga, tudo de novo? Bem, se disseres que não, até penso em vir couve flor ou peixe! tudo pela boa companhia!

 
At 29/6/06 10:13 da manhã, Blogger Barão da Tróia II said...

Bom post gostei.

 
At 29/6/06 10:35 da manhã, Blogger Ck in UK said...

Ouve la o que e que tens? Ja tas melhor ou que?
gostei do post, tiveste graca, mas fiquei preocupada.

depois avisa la como andas.

sobre hospitais, tnho umas historias. Passei la muitas vezes pra ser cosida!!!! E cada uma pior que outra.

 
At 29/6/06 11:22 da manhã, Blogger Lídia Amorim said...

gostei imenso...fizes-te-me rir um bocadito.. eu por acaso gostaria de ser uma borboleta, axo k as couves flores sao seres demasiado quietos, não dá para mim, sou elétrica!! Os hospitais põe-nos assim, DOENTES ou ainda mais Doentes!! nao gosto nada de hospitais... beijitus! no entanto, espero que tenhas cuidado com essa hipertensão, há que se cuidar...

 
At 29/6/06 1:03 da tarde, Blogger Su said...

Eu cá acho q de qualquer das formas, somos sempre comidos um dia, e hade sempre haver alguém a chatear a nossa paz, mesmo q se vir cove-flore! Ou peixe!
Ou seja lá o que viermos a ser! hade sempre haver o outro lado da medalha!
Enfim, caramba detesto ir ao médico, detesto qd tenhoq tomar drogas, detesto a saude em Portugal, desteto ainda mais a saude em Moçambique.
Puts, como te entendo!
Mas, cuida de ti.
Ok?
:)

 
At 29/6/06 1:04 da tarde, Blogger Su said...

Eu cá acho q de qualquer das formas, somos sempre comidos um dia, e hade sempre haver alguém a chatear a nossa paz, mesmo q se vir cove-flore! Ou peixe!
Ou seja lá o que viermos a ser! hade sempre haver o outro lado da medalha!
Enfim, caramba detesto ir ao médico, detesto qd tenho q tomar drogas, detesto a saude em Portugal, desteto ainda mais a saude em Moçambique.
Puts, como te entendo!
Mas, cuida bem de ti.
Ok?
:)

 
At 29/6/06 1:06 da tarde, Blogger Silver said...

O que vale é que tu tens um humor fabuloso e escreves um post brilhante. Ah pois! bjinhes

 
At 29/6/06 9:47 da tarde, Blogger dakidali said...

Hipertensa? Pois se te contasse tudo o que tenho ficavas de boca aberta. Sei que é difícil, sempre fomos pessoas saudáveis, ou pelo menos pensávamos que éramos. A idade não perdoa, a saúde, quando devemos não olhamos por ela, depois é tarde de mais. porta-te bem, cumpre as regras, toma os M£M e sorri todos os dias aqui connosco como só tu sabes.
Beijos

 
At 30/6/06 12:13 da tarde, Blogger Elisheba said...

Não acredito em reencarnação...mas acredito que não nascemos para sofrer...acredito no karma, mas tambem que ele pode ser mudado.


Joquinhas grandes

 
At 1/7/06 3:47 da tarde, Blogger Mocho Falante said...

humm pois só hoje andei a passear pelo teu poiso e vi que tiveste uma aventura hospitalicia e tudo para te dizerem que és mais uma portuguesa hipertensa. Olha já estou como tu dizes na próxima encarnação quero ser monge budista longe de uma agitação que só nos acelara em demasia o ciclo cardiaco

as melhoras e beijocas

 

Enviar um comentário

<< Home