terça-feira, outubro 17, 2006

10 de Outubro


Dia Mundial da Doença Mental

Sei que já passaram uns dias, parece coisa de doida, tantos dias depois dar-me para falar disto. Talvez este seja um dos paradigmas da doença mental: um tempo fora do tempo...

Faz-me impressão que tenhamos um "dia mundial da doença mental". Não um dia do doente mental. Faz-me impressão que o Dia tenha passado e, memo para quem trabalha na área, tenha sido só mais um dia, sem nenhuma reflexão acrescida. Parece-me que é para isso que se criam estes "dias", já que, obviamente, não será como outros, em que o objectivo é levar a malta a comprar prendinhas e a marcar jantares românticos.

A Associação de doentes bipolares editou um pequeno livro chamado Depressão & Mania na primeira pessoa, onde cartas de Antero de Quental e Mário de Sá Carneiro, a par de depoimentos de anónimos, dão conta do sofrimento imenso dos portadores da doença, especialmente na fase depressiva. Recomendo.

Um parágrafo do livro chama especialmente a atenção, não por exprimir a dor que atravessa todas as narrativas, mas pela ténue mensagem de esperança:

"O meu excelente amigo e poeta Luís Quintais enviou-me uma mensagem electrónica: Ontem li uma coisa de um psiquiatra que dizia que a depressão é o único estado mórbido do qual se sai sempre mais forte. Os deprimidos agradecem o optimismo." Pedro Paixão, in Girls in bikini.

Para o Carlos e para a Margarida, que encontraram o equilíbrio para a sua bipolaridade, com um abraço muito apertado.

25 Comments:

At 17/10/06 9:29 da manhã, Blogger anamoris said...

Complicada esta coisa da depressão. Eu sei porque lido há anos com uma depressiva crónica, a minha Mãe, não é fácil.
Obrigada pela lembrança, como sempre és super atenta.
Beijos, muitos, grandes

 
At 17/10/06 10:00 da manhã, Blogger greentea said...

muita LUZ e muito AMOR para todos eles tb , neste dia de outra dimens~~ao em que o Raio Cosmico atravessara o planeta!!

Para futuras mamas e novas Avos (Lua de Lobos /Maria de Sao Pedro) convem saber que o golfinho bebe tb faz birras qual menino humano qd nao o deixam ir para onde quer... mas como cresce rodeado de muito AMOR vai fazendo pela vida e ja anda nos 100 kilinhos e ultrapassa o comprimento de um humano adulto - nao lhe sei o perimetro cef´´alico...

beijinhos

 
At 17/10/06 11:05 da manhã, Blogger C_mim said...

Sempre achei que é muito ténue a linha que separa a genialidade da loucura... O importante é a harmonia... Acho...

 
At 17/10/06 12:12 da tarde, Anonymous anag said...

e também é o dia de lutar contra o enxovalho que a cabra da ministra da educação faz aos professores. beijos

 
At 17/10/06 12:16 da tarde, Blogger dakidali said...

A doença bipolar é uma doença nova que parece cada vez ter mais gente. Difícil parece-me reconhecê-la. Junto a minha à tua voz.
Beijinhos

 
At 17/10/06 12:33 da tarde, Blogger lxexpo said...

eu já vivi de perto esta doença...perdi uma amiga aos 19 anos e + tarde vivi-a com o meu 'ex' marido...não é nada fácil...

 
At 17/10/06 12:39 da tarde, Blogger planaltobie said...

Fraco, falhado, indefeso, desprezado, regeitado.... é assim, é assim que olhamos para o portador da doença. Mesmo que se saiba (e cada vez mais), que a doença é passageira. Mesmo que se saiba (e cada vez mais) que o doente pode recuperar, curar-se, produzir, etc.
Temos que lutar para mudar de atitude, desmistificar a doença mental, ir aos especialistas, tomar o que for necessário. Falar no emprego, desabafar, ajuda-los.
Encaro a doença mental como as outras doenças. É incapacitante, traz fragilidades, mas é ultrapassável consoante o seu grau.

 
At 17/10/06 2:30 da tarde, Blogger melga meiguinha said...

Querida arara,

Como eu gostava que fossem verdadeiras as palavras do poeta.

Vou ter esperança.

Uma beijoca grande.

 
At 17/10/06 2:32 da tarde, Blogger pitanga said...

Cada vez se fala mais na Bipolaridade. E cada vez se aprende menos. As pessoas têm medo de encarar os desequilíbrios pisíquicos (que também são da alma)e ajudar a quem precisa. Uma palavra, um ombro na hora certa vale uma caixa de comprimidos. E quem tem o mal também precisa aceitar ajuda e procurar um profissional e usar os medicamentos sem se envergonhar ou esconder, como se tivesse culpa. Não há culpas. Há soluções. Definitivas, ou não, mas que sempre ajudam.

beijos e o meu carinho a quem já passou ou passa por males invisíveis ao Raio X.

 
At 17/10/06 2:40 da tarde, Blogger ** sean paul** said...

Sinceramente não sei o que dizer, mas é uma realidade que os Doentes mentais são deixados de parte e não só o que me intristesse imenso...
BJX

 
At 17/10/06 2:44 da tarde, Blogger 'Tá Difícil said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

 
At 17/10/06 3:03 da tarde, Blogger calamity jane said...

A cada post teu sinto-me mais em sintonia contigo. Acho q ainda ñ me visitavas quando postei isto: http://nadacomorealmente.blogspot.com/2006/06/neurticos-somos-todos.html
até já, Arara

 
At 17/10/06 4:32 da tarde, Blogger Kalinka said...

Pelos vistos, a Amiga Pitanga entende-me, é isso mesmo. Uma palavra, um ombro na hora certa vale uma caixa de comprimidos!!!
É bem verdade.
Muitas vezes que estava pior, queria muito ir buscar a minha neta à escolinha dela, para poder ter aqueles minutos de atenção que mais ninguém me dava...
É esta a realidade e muito triste.
É quando se telefona a uma Amiga e ela diz, que não pode estar comigo, e eu saber que não quer estar comigo porque já se cansou de me ouvir...enfim.
Abraços apertadinhos.

 
At 17/10/06 5:10 da tarde, Blogger boleia said...

oh querida 125, acredita que todos os dias penso nisso, todos os dias da minha vida!
e concordo, é pena que nao se pense mais genericamente...

 
At 17/10/06 5:51 da tarde, Blogger calamity jane said...

Só agora li os comentários e tenho de responder a "dakidali" (desculpa, 125): Não. A doença bipolar está longe de ser uma doença nova. Talvez hoje ela tenha mais visibilidade e mais fácil diagnóstico, porque as pessoas estão mais informadas. Mas é só isso. ESpero que não leves a mal a "correcção". :-))

 
At 17/10/06 8:55 da tarde, Blogger Madalena said...

Li há pouco tempo umas cartas de Antero. Que sofrimento! Mil beijinhos, Azulinha!

 
At 17/10/06 10:48 da tarde, Blogger Pitucha said...

Terreno complicado, muito escorregadio.
E ainda bem que há "um dia" para que aprendamos a conhecer as pedras do caminho.
Beijos

 
At 17/10/06 11:09 da tarde, Blogger Mocho Falante said...

ola ola

regressado de férias aqui estou eu para dar uma beijoca de saudades

xuuuac

 
At 18/10/06 12:40 da manhã, Blogger AEnima said...

Querida 125,

A minha irma tb eh da area e esta neste momento a fazer investigacao em psicofarmacologia. Segundo ela, pessoa mal diagnosticadas, tomando anti-depressivos e outras drogas, desenvolvem a doenca mesmo se a terem.

As doencas mentais tem patologias muito especificas mas os medicamentos sao generalistas. Um serve para todos. O problema eh que os psiquiatras nao hesitam em prescrever quimicos que afectam o modo de funcionamento do cerebro no longo prazo, para alem da cura da doenca (ou mesmo inexistencia dela).

Eu fui e sou provavelmente uma vitima de neglicencia psiquiatrica(neglicencia no sentido malpractice). Mas este tipo de coisa eh muito dificil provar em tribunal.

Se quiseres falar com ela tenho todo o gosto de te dar o contacto. Ela ainda eh "novinha" mas boa no que faz e tem curso de psicologia, 2 mestrados (um em psicologia da saude e outro em hipnoterapia) e esta a tirar doutoramento em psicofarmacologia, como disse.

Beijinhos muito grandes!

PS - Quanto ao post anterior... olha, eu nao fui convidada mas apareci aqui na tua casinha um dia! ihihihi... e gostei... e fui ficando... e obrigado pela generosidade em me acolher :)

 
At 18/10/06 1:13 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Quanto ao MÁRIO DE SÁ CARNEIRO, como diz a Adriana Calcanhoto , gordinh, complicado com a vida, ter o Fernando Pessoa ali ao lado. Bichinha complicada...pois se isto só fosse de bichinha e os outros não bichinhas? Adoro a tua escrita mas mais que tudo ter-te como amiga. Bjs
A.S.

 
At 18/10/06 8:27 da manhã, Blogger UrsaM said...

Será que há dias no ano suficientes?
Esta nova moda de nomes politicamente corretos para tudo, faz pensar que há coisas novas acontecendo ao ser humano...
Não! Só há novos nomes talvez porque enjoem das antigas etiquetas...no meu tempo a mesma coisa chamava-se psicose maníaco - depressiva!
Acho que uma das causas do aparente aumento da depressão é a cobrança de se ser feliz, distrair-se todo o tempo, fugir e escapar de tudo que não seja agradável e risonho e então o tapete, por baixo fica, cheio de sujeira...
O que se enfrenta torna-se mais fácil de lidar. Achei tão boas as palavras de C_mim e de Pitanga!
E, imagina... este dia só podia estar nesta época, o ser humano, mesmo sem saber, se afina com os simbolos! Obrigada por mais esta informação querida arara!

 
At 18/10/06 8:57 da manhã, Blogger Lídia Amorim said...

O problema é que ainda existe muita descriminação para com os doentes mentais, esse é o problema. o que eu acho uma verdadeira estupidez, sempre achei que os doentes mentais sabem muito mais do que nós, que a sensibilidade deles é tanta que entendem este mundo que nós não entendemos. E infelizmente as pessoas descriminam. O pior é que com este mundo em que vivemos, o stress diário fará com que nós todos acabemos em depressões, etc. Todos ficaremos com problemas mentais...

Bjokas**vou procurar esse lívro

 
At 18/10/06 4:12 da tarde, Blogger Barão da Tróia II said...

A agravar ainda existe a incompreensão e a discriminação.

 
At 18/10/06 8:27 da tarde, Blogger Ck in UK said...

penso q ja te disse isto antes. o problema da doenca mental e que muitas vezes nao se ve. Ja um joelho arranhado e muito mais leve, mas ve-se....

tenho uma opiniao muito forte sobre este assunto, mas dava um blog em si....

 
At 19/10/06 2:32 da manhã, Blogger Cristina said...

gostei muito desta chamada de atenção.

infeizmente a doença mental ainda assusta, ameaça. é uma doença maldita.

com o tempo..


beijinho

 

Enviar um comentário

<< Home