terça-feira, março 13, 2007

Rotas alteradas


Há um ano atrás, ela roubou um recém-nascido da maternidade. Agora, o bebé ficou doente e ela teve que levá-lo ao Hospital.
Está presa, o bebé foi devolvido aos pais.
E quatro destinos ficaram alterados para sempre. Como se sentirão hoje os pais, a criança e a raptora?
Tudo está bem quando acaba bem?

Etiquetas:

11 Comments:

At 14/3/07 7:52 da manhã, Blogger Carlota said...

É uma situação complicada, mas quanto à raptora, não tenho dúvidas. Deve sentir-se como é: muito estúpida.

Já consegues fazer posts. Comentários, ainda nada?

Beijola.

 
At 14/3/07 8:58 da manhã, Blogger Pitucha said...

Neste caso algo acaba mas o mias importante vai agora começar! E a bébé, como se sentirá no meio disto tudo?
Beijos

 
At 14/3/07 10:43 da manhã, Blogger Teresa said...

Não há um meio termo...há 1 ano ficou uma família destroçada com o desaparecimento de uma bébé agora fica outra família destroçada com a realidade e a perda de uma criança que pensavam ser deles!!! Condeno sem sombra de dúvida mas a bébé que já tem 1 ano não se deve sentir muito melhor sendo tirada aqueles a quem conheceu como seus e que lhe deram amor e carinho!!!
Beijinhos

 
At 14/3/07 10:53 da manhã, Blogger Tongzhi said...

A criança é quem mais me preocupa. Mas os "danos" que ficaram só o tempo os dirá.
Quanto à raptora... nem vou dizer o que me passa pela cabeça!

 
At 14/3/07 12:14 da tarde, Blogger pitanga said...

Querida Azulinha, já nem sei de que caso falas. Isto tudo é uma loucura. Crianças que são trocadas, raptadas, maltratadas. Pessoas que decidem seus futuros e não têm a mínima condição de o fazer! Famílias que por terem já seis filhos e tres deles já lhes foram tiradas pela assistência social vão agora arcar com a responsabilidade de criar uma criança que precisa de amor, compreensão e um longo período de adaptação. E é assim? Tira daqui e põe ali?
Lembro-me bem da minha Julinha quando tinha um ano e que chorava muito quando ia embora da minha casa ou quando eu saía da dela, tinha de ser escondida. Era um sofrimento. As crianças sentem.
Olha, em vista disto tudo eu pergunto: PORQUE RAIOS ESTAS MULHERES TÊM FILHOS? DÃO, EMPRESTAM, BATEM, DEIXAM QUE PADRASTOS AS MATEM?

Desculpe Azulinha, mas quando o assunto toca à criança, saio do sério...se eu tivesse um porrete dava em todas.

beijinhos e estou mais calma.

 
At 14/3/07 4:28 da tarde, Blogger melga meiguinha said...

Também me preocupa mais como se vai sentir a criança com os novos pais.
É verdade que ainda é muito pequenina mas não irá sentir a diferença?
E as duas irmãs que dum momento para o outro ficam sem a ~"irmã" e a mãe?
Os adultos fazem as asneiras e quem paga são as crianças.

Beijocas.

 
At 14/3/07 7:27 da tarde, Blogger _+*A Elite in Paris*+_ said...

Ola querida AZUL/ARARA, como estas? ha mt tempo que naovenho aqui porque nao tinha internet em casa nem podia aceder do trabalho... sera que a tua "nova companhia" ja chegou para alegrar os teus dias e "despertar" (literalmente) as tuas noites?

Beijos enormes :)

Elite

 
At 14/3/07 8:16 da tarde, Blogger Hindy said...

Histórias de vida...

Beijos :o)

 
At 14/3/07 11:44 da tarde, Blogger boleia said...

definitivamente um caso sensivel e dificil...

 
At 15/3/07 12:04 da manhã, Blogger espumante said...

Chegaste a fazer o que te sugeri?
Beijinho

 
At 16/3/07 12:05 da tarde, Anonymous casadaponte said...

Este caso chocou-me muito por tudo.
E será que vamos acabar por concluir que "há males que vêm por bem?"Sim, porque se a bébé não tivesse sido raptada, a Mãe teria ido com ela para casa, engrossando o nr de filhos existentes e a pobreza. Agora a segurança social já acha que a casa não tem condições para a bébe...etc.etc.Já vi a Mãe na SIC onde em poucos minutos conseguiram uma oferta de 2.500,00euros de vários espectadores, uma empresa vai mobilar a casa...etc.etc.Por aquilo que se soube 3 filhos estão em famílias de acolhimento...e para esta há lugar??
Não há dúvida que o que é preciso é vir nos jornais e aparecer na Televisão. Oxalá com isto tudo não seja esquecida a pequenina...que também penso estará perdida, transportada para um mundo completamente diferente do que até aí viveu. Tenho pena da raptora e das suas meninas verdadeiras. Em que desespero de causa se fazem coisas destas? Pelo menos tratou bem a pequenina e isto deve pesar no julgamento!
Beijinhos "azulinha", e para todos os azulinhos da casa,especialmente para o mais pequenino. Deve estar uma ternurinha....
M.Dores

 

Enviar um comentário

<< Home