quinta-feira, dezembro 20, 2007

Confraria de Pequenos Anjos


É possível ser-se feliz só porque se tem umas luvas novas, castanhas com bolinhas cor de laranja. Mesmo que chova canivetes e o céu pareça de chumbo.
A felicidade aumenta se o telefone tocar às duas da tarde e uma voz carregadinha de delicioso sotaque açoriano disser: hoje às 19h, jantar com nove prematuros dos nossos tempos de MAC, estão todos a fazer um ano... vamos COMEMORAR!!!
Ficas feliz mesmo que o trabalho nesta recta final de ano te esteja a esmagar e ainda tenhas um camião de presentes para trocar com os amigos. Ficas feliz porque ofereceste um blog à tua melhor amiga e um dia destes ela vai fazer o primeiro post e nós vamos deliciar-nos com a chegada dela à blogoesfera.
E ficas feliz quando chegas ao restaurante e encontras os bebés que já foram minúsculos e moraram numa caixinha.
A Patrícia, filha dos papás organizadores e babados, linda, linda, com os seus olhinhos azuis (tentei acasalá-la com o Rodrigo, mas a mamã dele continua de olho comprido na Nonô, por mais que se lhe repita que a Nonô é noiva do Migas!). A mamã do Rodrigo, aliás, dizia à Nonô: "Não queiras o Migas, tenho um mais giro para ti, com cabelos e dentinhos". Ah, sim, o Migas não tem essas coisas supérfluas, mas faz covinhas quando sorri, bate palminhas e gatinha desvairadamente! Tem os seus trunfos, desculpem lá!
O João Rafael simboliza todos os pequenos milagres possíveis: é o bebé que nasceu com 540gr e hoje já está um meninão de 9kg, bem disposto, com ar de homenzinho maroto. E o Francisco, com o seu tufinho de cabelo encaracolado, a comer sopa como um crescido. A mãe Eva, com a sua loirinha sapeca aos gritinhos. A amiguinha Sara com os seus olhinhos muito azuis e ar doce, doce.
E eu, que consigo baralhar o nome dos bebés e esquecer-me sempre de algum, por mais que anote todos os nomes e pesos e percentis, só para depois não me lembrar onde raios deixei o papel...
Tenho uma foto fantástica para ilustrar este post, mas o blogger recusa-se a publicá-la. Assim que descobrir porquê, volto a tentar.
Vou só pedir a estes papás que ontem desfilavam felicidade que se lembrem como foram doídos os tempos há um ano atrás. Só por um segundo. E depois, por favor, mandem um mail aos papás do Lourenço, que estão muito aflitos, como nós estávamos há um ano. O Lourenço também chegou antes do tempo e mora agora numa das caixinhas onde os nossos já moraram...
Para os papás do Lourenço manterem a esperança. E nos encontrarmos todos, a sorrir, novamente, para o ano!


lourencopimentel@gmail.com

Etiquetas:

17 Comments:

At 20/12/07 10:35 da manhã, Blogger Carlota said...

Com tantos anjinhos, vejam lá nao levantem voo! :)

 
At 20/12/07 10:36 da manhã, Blogger Carlota said...

E podes esquecer-te dos nomes, mas asseguro-te que não dás nada essa ideia. Aliás, tens a minha profunda admiração, pois eu já nem consigo acompanhar os nomes dos bebés da família, quanto mais os outros! :)

 
At 20/12/07 11:36 da manhã, Blogger Morgenita said...

Que bom que o pesadelo já terminou e que, passado um ano, a vida se encarregou de pôr tudo nos eixos!

Finalmente, espero hoje ir buscar o meu presente, que agradeço desde já!

Bjocas grandes e eu ainda ligo antes das natevidades começarem oficialmente!

Bjocas grandes,

 
At 20/12/07 12:34 da tarde, Anonymous Marta said...

Vamos ter problemas sim...
Aquilo é só conversa! Eu lá deixaria o meu filho ir para os Açores só por causa de uma vaca!??!
(Isto pode soar mal, mas é mesmo assim! O Azulão é que tem a culpa!)
Beijinhos!!!!

Marta( a do Rodrigo!)

 
At 20/12/07 3:06 da tarde, Blogger chiqui said...

Os teus posts do Migas & CO deixam-me sempre com um sorriso meio embevecido /meio parvo nos labios :))
Que alegria devem ter sentido todos. Eu, aqui de longe, sinto orgulho de todos esses bebes crescidos!!

beijos enormes azulinha
p.s.
ja respondi ao mail ;)

 
At 20/12/07 3:15 da tarde, Anonymous aninhas said...

Pois é... ontem pude ver todos aqueles bebés que estiveram ao pé do João.Grandes e todos lindões...Não há palavras para descrever o sentimento é uma coisa inexplicável...tão pequeninos,que eram ,parecendo tão frageis e na volta superaram tudo e mais alguma coisa.... Cada vez que tento transcrever para o papel o que senti fogem me as palavras... No passado sofri muito(não tentando passar esse mesmo sofrimento ao meu ratinho,nascer com 540 gr nao é realmente para todos)mas hoeje sou muito feliz,tenho um bebé com muita garra e muito bonito...Beijinhos a todas as ma~es que ja passaram o que eu passei e o que desejo pró meu bebé é o que desejo para os vossos....TUDO DE BOM POQUE VOCES SAO GRANDES HERÓIS

 
At 20/12/07 4:59 da tarde, Blogger Álex said...

a vida vale a pena!
e as luvas devem muita giras!

 
At 20/12/07 5:40 da tarde, Blogger Pitanga said...

Sempre é um desafio para mim compreender aonde nós, mães, vamos buscar tanta força para gerá-los, pari-los e depois lutar por eles uma vida inteira. Somos super? Não pode ser. Somos suaves, choramos a toa, temos um regaço doce que cabe um filho já homem.
Quem somos nós?

beijos e parabéns pelos festejos mais do que merecidos.

 
At 20/12/07 6:22 da tarde, Blogger Hindy said...

Estou quase de partida!

Um sorriso hindyado

 
At 20/12/07 9:49 da tarde, Blogger Girafa cor de rosa said...

Isto é que são verdadeiras prendas de Natal. Gostei imenso de ler, obrigada pela partilha! Vou escrever aos papás do Lourenço, vou sim senhora!

 
At 20/12/07 11:41 da tarde, Blogger Madalena said...

pões-me sempre a lagriminha no canto do olho quando apelas à vida esteja ela onde estiver, mesmo que esteja apenas dentro de 540 gramas de gente que vai ser grande como os maiores.
(Organiza o jantar e diz-me, para eu vir do Algarve e a Nini ir comigo também.)

 
At 20/12/07 11:42 da tarde, Blogger Madalena said...

Já me ia embora sem deixar os mil beijinhos....

 
At 21/12/07 12:35 da manhã, Anonymous Azulão said...

Na realidade, houve um momento da noite em que dizia:
- o grande problema destes prematuros, SÃO AS MÃES!

Foi quando o Azulinho berrava dentro do automóvel, não sei se pela Vaca da Nônô ou porque quando chove, alguns levam o vidro aberto, deixam de ver e.... acidentes dos bons na A5, no IC19, etc, cheio de orçamentistas e doutores na hora, que apenas fazem aumentar o pára-arranca.

Mas tudo passou, não porque ele resolveu dormir (talvez para sonhar com a Vaca da Nônô) mas porque também o mau tempo da Sala 5 e seguintes, da MAC, igualmente passou e deu lugar a este momento.

Uma verdadeira lição de vida, com muita incerteza, medo e dor à mistura, agora transformado, como diz a Azulinha, em "felicidade em estado puro"!
(mesmo quando o Azulinho resolve afiar os seus dentinhos no meu nariz e, roído de inveja, arrancar-me os cabelos)

Obrigado Super Mamã.
Obrigado Azulinho por teres conseguido.

Com Amor

 
At 21/12/07 10:13 da manhã, Blogger Nocas Verde said...

Cara 125,

Quero apenas desejar-te um óptimo Natal.

Beijos deste lado

 
At 22/12/07 2:46 da manhã, Blogger Angela said...

Querida, sempre me deixas com os olhos marejados!
É sempre uma boa lição esta que pedes a todos. Em qualquer situação difícil de vida, olha pra tras, e lembra. Não para ficar presa ao passado mas pra lembrar que tudo se supera e vem pra melhor. Parabéns a todos estes pais e mães, a todos estes bebes e principalmente a ti, ao Azulão e ao Migas que foram vencedores de uma maratona que pode não ter nome mas é a mais importante: a da vida!

 
At 22/12/07 12:52 da tarde, Blogger GP said...

Passei por aqui, li este artigo e confesso que estou com um nó na garganta. Sou a avó materna do Lourenço. É o meu sexto neto e a primeira vez que vejo o tempo a passar sem poder estar com ele. Vê-lo. Dar-lhe um bocadinho de colo. Tudo o que li me emocionou e todas estas vivências são, para mim, um grande apoio. Parabéns a todos esses Pais e Mães, que passaram tudo o que a Teresa e o Paulo estão a passar, e que agora comemoram o primeiro aniversário dos seus Pequenos Anjos.
Daqui por um ano, pode ser que os Pais que têm agora os seus pequenotes no Pedro Hispano, tomem uma iniciativa como esta. Afinal estes pequeninos são os primeiros amigos do Lourenço.
Desejo-vos um Santo Natal e as maiores felicidades para a Patrícia (suponha que é a vossa filha). Este ano não terei o Lourenço com a irmã e os primos no dia de Natal mas, para o ano, cá estará a comer a sua sopinha.

Um beijo amigo
Graça Pimentel

 
At 26/12/07 3:28 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Olá, eu sou o Paulo, Pai do Lourenço. Obrigado pelo apoio de todos! Por muito que nos julguemos fortes, nunca estamos preparados para viver com uma tamanha ansiedade: as dúvidas da luta diária e as dúvidas sobre o futuro. Procuramos saber dia-a-dia, tal como nos dizem os médicos, das pequenas vitórias e derrotas, e fazer destas o longo caminho. Mas é impossível parar a cabeça e logo pensamos se o nosso filho terá as mesmas oportunidades dos outros meninos, ou se algum problema o poderá vir a afectar. É uma angústia sufocante pois sabemos que a caminhada é demasiado longa para se viver com esta intensidade e ansiedade.
Procuramos algum conforto na família e em todos os que estão a passar pelo mesmo na Neonatologia do Hospital Pedro Hispano. Penso que as dúvidas e receios são de todos, mas as grandes ninguém tem coragem de verbalizar: faz parte.
Tentamos fazer uma vida normal, mas o silêncio habita-nos e significa sempre dúvida e angústia. Apenas sossegamos quando estamos junto dele, mas logo procuramos sinais de saúde ou de falta dela, pelos seus ainda frágeis e descoordenados movimentos.
Temos apenas uma certeza: o Lourenço é um grande lutador e (para nós) é o bebé mais bonito do mundo!
Tem sido muito importante ler as Vossas experiências, elas são para nós um tónico para a luta diária.
Apenas me resta agradecer a todos, o carinho que têm tido com o Lourenço e connosco.
OBRIGADO!!!

 

Enviar um comentário

<< Home