sexta-feira, agosto 11, 2006

Respeitar a vontade


"Podes levar um cavalo à beira do rio
mas não podes obrigá-lo a beber água."
Ditado Sul-Africano
A propósito de alguns posts publicados por diferentes bloggers, desiludidos com os amores, os amigos e a espécie humana em geral.
Fazes o que tens que fazer, como acreditas ser melhor. Levas o cavalo à beira do rio. Ele bebe se lhe apetecer. Por muito que te doa vê-lo morrer de sede...

16 Comments:

At 11/8/06 5:16 da tarde, Blogger José Alberto Mostardinha said...

Viva:

Passei por aqui e... gostei.
Sempre a propiciar um bom momento.
Um abraço,


Novo artigo no EG á espera do teu comentário.

 
At 11/8/06 6:03 da tarde, Blogger Kafé Roceiro said...

Em nada, absolutamente nada, deve-se forçar uma barra. Forçar uma situação, pois aí ela será falsa. Beijos, Kafé.

 
At 11/8/06 6:15 da tarde, Blogger Ck in UK said...

125 nao imaginas q demorei 5 anos a entender isto? e que entendi apenas a minha propria custa? e que so podes fazer uma coisa - se o cavalo teima em nao beber e a situacao te chateia a serio, o melhor e abandona-lo pq nao e pondo pressao q ele vai beber.

ai....

 
At 11/8/06 6:30 da tarde, Blogger Sinapse said...

Concordo contigo, com o ditado sul-africano.

...

... entretanto, aproveito para reparar na música nova aqui no teu cantinho - muito agradável!! ... recorda-me lá, quem são eles?... parece-me que conheço a voz dela ...

...

Beijinhos,
Sinapse

 
At 11/8/06 6:43 da tarde, Blogger Tia Cremilde said...

o problema é nós nos conformarmos com a parte do "gajo não querer beber água"... mas é um bom provérbio!

bom fim de semana! não faça nada que a sua tia não fizesse

 
At 11/8/06 8:46 da tarde, Blogger refugiada said...

boa verdade sim senhor...é profundo, reflexivo e estranhamente realista, tanto que até perturba...

Cumprimentos, e bom fim de semana!

 
At 11/8/06 9:16 da tarde, Anonymous David said...

Vou remar contra a maré, mas não posso concordar. Se gosto do cavalo, não me posso conformar com o ficar a vê-lo morrer de sede ao pé do rio. Tenho que tentar o impossível para lhe dar água. Nem me parece um post colocado pela mesma pessoa que escreveu "Ontem, Hoje".O que farias pela tua filha? Tudo? Então, devem estar a falar de casos particulares que desconheço e me fazem regressar ao silêncio.

 
At 11/8/06 9:26 da tarde, Blogger MARTA said...

Pois é, minha querida! Tu ajudaste-me a perceber isso e eu parei a tempo.
Como o kafé roceiro diz, às vezes não devemos insistir, porque nunca se ficará satisfeito e acabamos por nos magoar.
Eu ia fazer uma grande asneira, ia magoar-me e para quê? Para quê?
Obrigada mais uma vez - agora vou para o jardim sem qualquer peso na consciência.
Beijos e abraços
Marta

 
At 11/8/06 10:09 da tarde, Blogger Hindy said...

E dói tanto ver alguém morrer de sede...
Beijinhos :o)

 
At 11/8/06 10:17 da tarde, Blogger Miss Spring said...

tens tanta razao! mas por vezes da mesmo vontade, sobretudo quando aceditamos que o cavalo merece o esforço!... (e com um funil, achas que nao vai la?) :)
bjs e ate setembro!

 
At 12/8/06 12:14 da tarde, Blogger espumante said...

Sinapse, nâo vale a pena fazeres perguntas que ela pura e simplesmente não responde :))) Com a 125 nós temos de comunicar com ela como a canção diz para se fazer amor - por telepatia :))

125, quanto à história do cavalo sem sede, talvez se lhe cantarmos a canção que puseste de fundo quando diz "Amor, você me dá água na boca". Haverá cavalo que resista e não beba um golo??
:)))
beijinhos

 
At 12/8/06 2:23 da tarde, Blogger 125_azul said...

E prontoSSSS, lá vem o Sr. espumante difamar-me. Eu respondo SEMPRE, só que vou ao blog de quem pergunta e deixo lá a resposta. Ele sabe...
É a Rita Lee e o Milton Nascimento, na mais linda versão para esta música.

David:
Faria tudo por alguém que amasse. Tudo o que dependesse de mim. Levar até ao rio, tentar persuadir, molhar a boca...mas beber a água é uma decisão pessoal, não há amor que possa forçar isso. Maso melhor foi saber que farias tudo, até o impossível, que bom!
Beijinhos a todos , eu e a Ana adorámos os miminhos que nos deixaram no post de quarta-feira, obrigado.

 
At 13/8/06 4:45 da manhã, Blogger UrsaM said...

Adorei este ditado!
E quem diz que o cavalo está com sede? E quem afirma que ele não está percebendo algo na água que vc. não vê? E quem pode lhe tirar o direito de ficar seco e morrer se assim o desejar?
Morrer é tão de direito quanto nascer e viver não?
É pena que a maioria dos humanos padece muito até descobrir o poder da impotência... o poder que se descobre pela aceitação dos limites, principalmente em se tratando de outros...
Lindo e sábio post!

 
At 13/8/06 8:54 da manhã, Blogger Su said...

Pois... ás vezes n é simples, podemos ajudar, é certo q nem sempre a ajuda resolve, a coisa piora qd o bicho em causa n está nem ai p a ajuda... enfim, mas só o facto de estarmos presentes, por vezes já é um apoio, mesmo qd estamos a remar p lados opostos!
Eu, na realidade n sou de ver um cavalo a morrer de sede sem tomar um atitude nem q seja drastica! As vezes la o teria que regar! N vale a pena, sou assim é um facto. Luto até as ultimas consequencias! Às vezs sou mordida, afasto-me mas fico de olho, ele acaba por voltar.
Mas, adorei saber deste ditado, um dia pode servir para alguém cheio de sede!
Nos entretantos concordo com o facto de cada um ter a sua velocidade, o timing varia de pessoa para pessoa e as vezes é assim q tem q ser!
:)

 
At 14/8/06 4:21 da tarde, Anonymous Anónimo said...

a grande chatice é quando nos mostram o rio, quando nos levam à beira do rio e não nos deixam beber a água!!

 
At 5/2/07 7:35 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Cool blog, interesting information... Keep it UP casino en ligne Delta faucets and progress lighting Gold strike casino resort tunica

 

Enviar um comentário

<< Home