quinta-feira, setembro 27, 2007

Eu bem medito...


Não sei nada de política. Na verdade, nem sequer me interessa o suficiente para querer saber. Gosto de ler a Carlota, o Espumadamente, o Barão da Tróia II e a Cristina do Contra-Capa, entre outros, porque eles sim, entendem e explicam e criticam e fazem a "coisa" parecer simples. Feia, mas simples.
Então hoje não vos vou falar de política. Vou falar da Mariana, viúva recente, com uma filha na faculdade, a seu cargo. Na Mariana que em 10 anos de recibos verdes, a atender diariamente público e a servir doutores, consegue ser a única funcionária que não tem uma queixa sequer no livro de reclamações desta Unidade de Saúde.
A Mariana termina o último contrato agora em Outubro e até Dezembro é sabido que toda a malta a contrato vai para a rua nesta casa. Qualquer coisa como 50% dos enfermeiros, 75% dos assistentes sociais, e 60 % dos administrativos. Em vários outros sítios, sai o único psicólogo, alguns há mais de 10 anos a recibo verde, à espera que abra concurso.
A martelo, abriu ontem um "recrutamento externo" travestido de concurso para contratar pessoas por um ano. Saiu no Diário de Notícias. O prazo de entrega dos documentos é de cinco dias, pelo que anda tudo desvairado a amontoar papéis e a pedir declarações disto e daquilo. O número de vagas vai "chutar" para escanteio muitos sonhos... talvez até o da Mariana. É que além do número não ser obviamente igual ao dos que ficarão de fora da lista cruel que dá acesso a mais um ano de respiração suspensa, ainda vão chover candidaturas de pessoas que nunca trabalharam no sistema e que podem ter habilitações que as qualifiquem à frente de quem já cá está. É assim e nem discuto. Como em toda a parte, há muita gente nesta e noutras casas públicas a merecer ir dar uma curva ao Samoco e há muita gente a merecer a oportunidade de aceder a um primeiro emprego.
Chateia-me é ficar sem a minha Mariana. Chateia-me pensar que talvez por detrás disto haja só uma necessidade de, à laia de operação cosmética, este concurso venha só mascarar a quantidade de desempregados que vão arruinar a "lista de estabilidade social" que a estatística cruel não perdoa. Faz-me pensar que daqui a um ano estas pessoas, cujo contrato acabará perigosamente perto das eleições, se sintam pressionadas a votar nos mesmos à espera de mais um contrato manhoso... ou então serão os "outros" a ficar a braços com mais uma enchente de desempregados logo no início do mandato. Já estou a ver a bancada do PS em pé a falar no aumento do desemprego e na incompetência dos laranjas... Isto se o baixinho e o Menezes não se assassinarem antes.
Eu bem medito... mas o que me dói mesmo, mesmo, é ficar sem a minha Mariana.

Etiquetas:

11 Comments:

At 27/9/07 2:35 da tarde, Blogger Carlota said...

Eu também gosto de te ler, Azulinha. Ninguém como tu consegue, desta forma, exteriorizar a bondade que lhe vai na alma.
E também espero que não fiques sem a Mariana. Ela parace-me bem junto de ti.
Beijola.

 
At 27/9/07 2:36 da tarde, Blogger Carlota said...

Quis escrever, 'parece-me', claro!

 
At 27/9/07 2:49 da tarde, Blogger Álex said...

é horrível quando estas tragédias têm cara e vidas conhecidas, uma injustiça!

 
At 27/9/07 3:46 da tarde, Blogger calamity jane said...

Oh Azulinha! Estavas tu na minha tasca e eu na tua! Já sabes o que eu penso sobre a precariedade, aliás, proponho uma nova versão dos escritos de Marx -isto tb em homenagem ao meu anónimo revolucionário - : deveremos agora instituir a ditadura do precariado! Se um dia destes esta malta toda resolver parar - parar mesmo e não entrar naquela bem portuga atitude do "eu só faço se todos fizerem" - eu quero vero que acontece ao país, aos seus sócrates e amados e campos e afins...

 
At 27/9/07 8:36 da tarde, Blogger Miudaaa said...

Voto na Mariana.
Voto mesmo. Não chega eu sei, mas quero acreditar que chega.
Força.
Abraço de miudaaa

 
At 27/9/07 9:36 da tarde, Blogger C_mim said...

Nos países "modernos" como o nosso as pessoas não são mais que números.

À pala de muitas Marianas, andam um bando de incapazes medrosos a sugar o país.

Tou com a calamity... Se tudo para-se mesmo durante 5 dias eu queria ver quem tinham medo do cordeirinho.

 
At 28/9/07 1:15 da manhã, Blogger AEnima said...

Ainda dizes tu que nao percebes de politica. Eu ca me parece que 'a Mariana lhe doi bem mais ficar sem ti. O pior eh que toda a gente se queixa que vai ficar sem a Mariana... mas quando ha pouco tempo tentaram passar uma lei que fliexibilizava o mercado de trabalho, que e' para se acabar com estas mascaras de concursos para aqui e acola, nem deixaram o assunto ser debatido na assembleia porque era precarizar mais o trabalho.

Ha que perceber que flexibilizando, os que tem emprego fixo passam a te-lo menos seguro. Certo. Tem que dar provas da sua competencia regularmente para manter o emprego. Pronto. Mas por outro lado, os que tem emprego precario podem agora ter melhores condicoes... pois e' mais facil 'a entidade patronal livrar-se do excesso de mao-de-obra se for necessario. No fundo, parecendo que nao, ficam todos em maior igualdade de condicoes e em media menos precarios!

Ja nao se pode dormir 'a sombra da bananeira! Aceitemos isso e deixemos de hipocrisias quando alguem propor algo que abane com os tachos implementados.

 
At 28/9/07 1:27 da manhã, Blogger miguel said...

Mariana é apenas mais uma vítima de mais um, dos muitos sitemas existentes aqui e além-mar.

O Mundo que temos, de fundamentalismos espalhados por todo os cantos, apenas espera pelo dia em que os paus e as pedras serão as armas da nova guerra.

Diria que, nada poderá mudar, nada será melhor, apenas e só, por momentos, diferente.

Às Marianas deste Mundo, a esperança, que será sempre a última a morrer.

 
At 28/9/07 1:29 da manhã, Anonymous c said...

... pois fica sem a Mariana, o carro, a casa, mas fica comigo!

BDia

 
At 28/9/07 8:32 da manhã, Blogger neva said...

a verdade é que o sistema que temos é este actualmente. agora é certo que todos os dias há injustiças e justiças a acontecer, o importante é nunca deixar de acreditar e mais do que isso saber que às vezes há males que vem por bem

 
At 28/9/07 7:10 da tarde, Blogger Angela said...

Ah... como se parecem aí e aqui! E como nos assemelhamos nós que sentimos na pele as "nossas marianas" mas,como diz Álex,quando estas tragédias tem nomes e caras a coisa fica pior. Acho que políticos não se ligam a pessoa alguma a não ser a si mesmos e, como não sentem...Esperemos, como diz a Neva, que os males virados em bens, cheguem rápido!

 

Enviar um comentário

<< Home