domingo, outubro 29, 2006

Voar



"As lagartas viram borboletas""E o que são borboletas?""São flores que voam!", Petit Prince

O António tem mais de sessenta anos.

Os olhos azuis aguados, a inteligência apurada, o humor trocista, o charme que a maturidade trouxe.

Foi à guerra quando o país exigiu, perdeu a propriedade da família quando o país quis e a nacionalizou.

Com trinta e poucos anos era comandante, posto supremo a que aspiram os pilotos de avião. Namorador, conquistador.

Em criança voava até à lua num avião de papel.

Só voou, toda a vida, desde os tempos dos aviões de papel até hoje.

Foi só o que quis fazer, mas teve que ir à guerra, teve que casar, teve que ter filhos, é o que fazem todas as pessoas, é o que a vida quer que as pessoas façam...
Divorciou-se quando as mulheres (duas) quiseram.

Quando a vida quis, e ele ainda não tinha quarenta anos, um acidente amarrou-o a uma cadeira de rodas.

E ele continuou a voar.

O António não foi à lua, mas deu duas vezes a volta ao mundo, a pilotar sozinho o seu próprio avião. Já paralítico.

O António é um herói a sério.

Disse-me hoje que está pronto para, finalmente, ir à lua num avião de papel.

Vou rezar para não chover nesse dia. O António merece ter o direito de, uma vez na vida, ser ele a querer. Tem o direito de querer e de fazer.

E eu, mesmo que tenha esse direito, não vou chorar.

Escrevi este post em 17 de Março deste ano. O António não chegou a ter tempo de fazer um último vôo escolhido, o vôo definitivo. Num dia de muita chuva, no princípio deste mês, faleceu discretamente, aos 64 anos. Ninguém soube. Para quem quiser saber mais sobre este herói internacionalmente reconhecido, ele tinha um site com um nome que diz tudo: As asas da teimosia.

Adeus, António. Lamento que tenha chovido.

15 Comments:

At 30/10/06 12:20 da manhã, Blogger boleia said...

espero que o Antonio tenha partido em novas viagens... As que sempre quis!
Boa semana...
:x

 
At 30/10/06 9:08 da manhã, Blogger anamoris said...

Voar dessa maneira é previlégio só de alguns. Agora voa para sempre.
Beijos

 
At 30/10/06 11:12 da manhã, Blogger a lice said...

Ganhou as asas da eternidade, para ir à Lua e a muitos outros sítios fantásticos...

Beijinhos para ti de boa semana!;-)

 
At 30/10/06 1:19 da tarde, Blogger pitanga said...

Agora sim. Ele voa para onde quiser.

beijos de bom dia

 
At 30/10/06 1:55 da tarde, Blogger Barão da Tróia II said...

Por acaso também, conheia o António esta é uma excelente homenagem a um bom homem e excelente pilotaço. Boa semana

 
At 30/10/06 1:55 da tarde, Blogger MARTA said...

Decerto continua a voar e é feliz...
Não morre, porque continua a viver na memória dos seus aviões de papel...
Estás perdoada, compreendo perfeitamente.
Contudo, hoje está lá um texto dedicado a uma pessoa muito importante e por isso, sugiro que vás lá num instante...
Beijos e abraços
Marta

 
At 30/10/06 4:56 da tarde, Blogger Hindy said...

Essas asas ninguém nos pode tirar...

Beijinhos :o)

 
At 30/10/06 7:39 da tarde, Blogger Madalena said...

Azulinha, o António deve estar a sorrir para todos os que estão hoje a falar sobre ele, com uma ternura emocionada provocada por ti. É preciso deixarmos na terra amigos como tu, para que se perpetue a lembrança, neste caso tão justa. Mil beijinhos para ti!

 
At 30/10/06 9:36 da tarde, Blogger Mocho Falante said...

olha que posso dizer eu por este linndo post...se calhar dizer ao António um Até breve

beijocas

 
At 30/10/06 11:33 da tarde, Blogger Meia Lua said...

Que post... escreves sempre desta maneira, que toca... que nos faz pensar.. o António agora voa livre, por onde quiser, sem estar preso a nada... beijinhos

 
At 31/10/06 12:05 da manhã, Blogger espumante said...

Eu não conhecia a pessoa, mas sabia quem era, pelos suas viagens e pelo facto de ser um piloto solitário e paraplégico.
Estou a saber por ti e agora que faleceu.
Foi um cúmulo-nimbo traiçoeiro, com certeza!
Obrigado pela notícia

 
At 31/10/06 1:52 da manhã, Blogger Luh said...

Nesse poste eu já tinha deixado este comentário:
Luh said...
Só hoje li este poste e espero que não tenhas chorado. Que o Cmte descanse em paz.
17/10/2006

A nivel aeronáutico o Cte tem sido lembrado, casp por exemplo do www.aecp.pt. E no próprio dia da morte foi lembrado no Voando em Moçambique.

E aproveito para te dizer que te roubei a foto do avião.

 
At 1/11/06 5:04 da tarde, Blogger Eu, sem mim said...

É triste quando se perde alguém.
Que o teu amigo António voe para sempre.

Bom blog o teu.

 
At 1/11/06 5:09 da tarde, Blogger UrsaM said...

Querida azulinha,

O aviador foi-se muito cedo! Que pena... mas o que importa foi sua vida, bem vivida e o que ficará dela entre os que o conheceram.
Parece que seu ultimo voo foi solitário. Espero que ele encontre os que o antecederam na partida.
um bj.

 
At 3/11/06 9:52 da manhã, Blogger Su said...

... beijo para todos os Antonios do mundo.

 

Enviar um comentário

<< Home